Atendimento, orientação e suporte pedagógico e psicopedagógico bilíngue para pessoas surdas e com deficiência auditiva do ensino básico ao ensino superior

     A criança surda sinalizante, que se comunica em casa e que convive com seus pares surdos, se desenvolve de forma natural. Mas sabemos que apenas 5% das crianças surdas são filhas de pais surdos com imersão precoce na língua de sinais. E os outros 95% das crianças surdas, como ficam?

 

     O Instituto Ladd oferece atendimento pedagógico e psicopedagógico bilíngue para crianças surdas a partir dos 3 anos de idade. Com base na premissa de que pedagogias surdas são pedagogias culturais, com práticas necessariamente coletivas. Com base nisso, proporcionamos imersão linguística em pequenos grupos de crianças surdas para a aquisição da Libras e desenvolvimento da sua da Identidade Surda. 

  Se a criança surda tiver uma deficiência associada, transtorno do espectro autista (TEA) ou altas habilidades/superdotação, nosso programa de psicopedagogia bilíngue leva em conta todas essas peculiaridades, com estratégias pedagógicas específicas para o desenvolvimento das potencialidades da criança surda. 

     Antes de ingressar no serviço de pedagogia e psicopedagogia bilíngue, a criança surda e seus familiares são avaliados em uma perspectiva biopsicossocial pela psicóloga do INSTITUTO LADD,com o intuito de delinear as melhores práticas pedagógicas e serviços mais adequados à família. Durante todo o processo, a família é acompanhada pela equipe do LADD para que as atividades desenvolvidas no Instituto tenham continuidade no ambiente familiar. O engajamento da família para o desenvolvimento linguístico, cognitivo e emocional da criança surda é crucial. Dessa forma, o Instituto Ladd oferece suporte psicológico, pedagógico e psicopedagógico para os familiares das crianças surdas.

 

Para saber mais!

 

     Crianças surdas, filhas de pais surdos ou crianças surdas expostas à língua de sinais desde o nascimento passam por um processo de aquisição de linguagem similar a crianças ouvintes (Newport e Meier, 1985; Meier e Newport, 1990; Emmorey, 2002). Crianças surdas expostas a Libras desde a mais tenra idade emitem os primeiros sinais com cerca de 12 meses e formam frases simples por volta dos 18 aos 24 meses. 

     Antes dos anos 90, as crianças surdas eram identificadas com cerca de 1 a 2 anos. Hoje são identificadas já em exames neonatais. Dessa forma, independente das opções familiares em relação a reabilitação auditiva e fonoterapias, é extremamente importante que a criança surda seja exposta o mais cedo possível à língua de sinais para se desenvolver de forma plena. A privação linguística acarreta prejuízos cognitivos, linguísticos, emocionais e sociais para crianças surdas.



                          Qual o maior desafio para uma criança surda?

                        Um dos maiores desafios é o processo de alfabetização, ou seja, a aquisição da leitura e da escrita.

     O conhecimento da primeira língua influencia o processamento da segunda, a falta da primeira não provê subsídio linguístico suficiente para a segunda língua. Além da defasagem na aquisição da língua, o processo de ensino da segunda língua se quebra, devido à falta de subsídios linguísticos na primeira língua.

     Nós do INSTITUTO LADD sabemos da importância do conhecimento metalinguístico da Libras para o ensino da Língua Portuguesa escrita, dessa forma, oferecemos (em breve!) suporte para crianças a partir dos 6 anos de idade no processo de alfabetização.

     Os desafios para as pessoas surdas não acabam na infância. Atualmente, com as políticas de inclusão e visibilidade da Libras muitos surdos estão no Ensino Superior, em cursos de graduação, mestrado e doutorado, esse fato nos alegra muito. O LADD oferece serviços de acompanhamento pedagógico, adaptação ao novo ambiente acadêmico, bem como orientações metodológicas para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, TCCs, dissertações e teses.

 

Tem um filho surdo e precisa de apoio? Entre em contato conosco

CuriosidadeLadd